Marco Polo

Tu vais atravessar o Atlântico,
O segundo maior oceano
- e mais umas milhas de terra.
E mais uma porção de desconhecidos.
- e uma porção de batatas.

Qual a distância entre o Brasil e a Espanha?
Será que o Ocidental anda a atentar por lá?
Quanto custa o café?
Quanto custa uma partida de sinuca?

Então ponho-me a compor isto
Que atravesse o mundo em um segundo
E te faça lembrar de mim
E que te faça sorrir outra vez.

Minha amiga, tu vais pra Espanha!
Ainda não quero crer nisso.
Seis meses ou mais ficará por lá
E contigo levará meu mais sincero sorriso.

Mas que tu não faças igual Marco Polo fez
Voltar pra casa 24 anos depois
Rico de saber e tesouros
Porém esquecido por familiares.

Mas tu, sendo o Marco do meu Polo
E outras vezes o Polo do meu Marco
não corres risco de ser esquecida
- nem por mim, nem por ninguém que te quer bem.
E sim de ser mais amada que antes.

Pois agora fico a imaginar:
o que aprontarás.
o que aprontarei.
O que faremos no dia que conhecermos o rei.

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

4 Responses to Marco Polo

  1. Nathy. says:

    Faz isso não.
    Um oceano inteiro (o segundo maior) se esvai de mim agora. Em gotas.
    Vou parar só depois de amanhã.






    (L)

  2. Deus says:

    Voltando a visitar os antigos companheiros, vendo que ainda estão de pé. Firme e forte e com boa escrita como sempre.
    Parabéns!

  3. Isso sim é poema, dona Abgail. Expressa algo, simboliza e significa.


    :) parabéns

  4. Daniel Lira says:

    Ótimo, estás tão poética ultimamente que até me encantas mais fortemente que nunca. Eu não sei o que dizer, afinal acabo por estar do outro lado da história. Já estive um dia no lado que hoje te encontras, mas não lembrar afinal o que fiz, lembro somente das nossas conversas no msn, das ligações que nunca consegui realizar, afinal uma coisa que aprendi nessa vida foi nada nunca ruim guardar. Gosto de ver tua paz de espírito, e tua compreensão. Adorei o poema, e mesmo não sendo pra mim identifiquei-me. Fica bem minha morena!