Complexo


- oi
- oi
- Há muito tempo aqui?
- Um pouco.
- Esperando alguém?
- Talvez. E você?
- Só estava andando.
- Sem rumo?
- É, sem rumo.
- Acho que ainda tem cerveja nessa caixinha. Pode se servir se quiser.
- Eu não bebo, obrigado.
- Que bom, sobra mais pra mim.
- Faz tempo que não te vejo pela universidade. O que tem feito?
- Indo a universidade.
- Usando roupas de camuflagem?
- Mais ou menos isso.
- Tá tudo bem?
- Essa é uma pergunta que não posso te responder. Ia estender esse diálogo muito mais do que ele merece pra existir.
- Tudo bem, não vou insistir.
- Eu sabia que você viria até aqui. Só fiquei em dúvida se você iria sentar e conversar. Você nunca senta pra conversar.
- Não compreendo você. Uma hora se aproxima e depois me trata como um conhecido qualquer. Como vou saber o que você quer?
- Você nunca vai saber, Jota. E olha que engraçado. Eu já tive essa conversa antes. Aposto como daqui a pouco você vai dizer que tentou ficar comigo, que tentou se aproximar de mim.
- Na verdade, eu não tentei. Você sumiu.
- Não sumi. E aliás, onde estão seus óculos?
- Estou usando lentes.
- Prefiro você de óculos.
- Porque parou de freqüentar o bar?
- Uma hora a gente enjoa de la, e a cerveja ficou cara.
- A ficha da sinuca também.
- Que pena, a única coisa em que você se divertia.
- Por que está brava comigo?
- Não estou brava com você. Estou brava comigo.
- Complexo.
- Eu sei.
- Vai chover.
- Eu sei.
- Melhor eu ir indo.
- Concordo.
- Eu te amo.
- Complexo.
- Eu sei.

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

7 Responses to Complexo

  1. Prism says:

    Estranho, complexo. rs Mais que isso, me pareceu ter muito mais nas entrelinhas que nas palavras e, apesar de doído, é bonito assim.

  2. Me diverti com esse post.

  3. Nara says:

    Sentimentos. Eles se sentem obrigados (por paixão) a complexar tudo.

  4. Daniel Lira says:

    Definitivamente isso tem cara de conversa de Ágda ;D

  5. Daniel Lira says:

    haha É, essa é uma conversa que tem cara de Ágda ^^

  6. SuperEgo says:

    É, complexo.

  7. Caralho, esse final mata!