Preto duBom

Hoje minha irmã perguntou-me qual foi a melhor coisa que aconteceu pra mim em 2011. E eu nem precisei pensar muito.

Os cafés foram os melhores.

Eram mini-férias. Eram uma viagem. Eram nosso jeitinho de ficar perto de quem amamos...
Podia ser aquele bem doce, que o vovô costuma fazer todos os dias bem cedinho. Em que sempre reclamo o quão doce está, mas ainda assim bebo todinho e me enche de alegria pra aguentar o dia. Pode ser aquele comprado na padaria, em que bebo sozinha lendo o jornal e comendo um pão de queijo borrachento, mas ainda assim bom. Pode ser aquele que de um cafezinho de 15 minutos do intervalo, se estende até o meio-dia e a barriga começa a roncar. Pode ser aquele último gole da garrafa, quase frio e cheio de borra; e junto com um cigarro salva a pátria dos nervos ja cansados. Até aquele com gosto de chulé. Pode ser também aquele feito pro lanche da tarde, com aquele monte de primo queimando a língua por não saber apreciar o café da vovó. Ou aquele feito de madrugada, as escondidas, só pela simples vontade de querer café aquela hora. Pode ser aquele café tinta, feito num domingo na casa do Oskar, e que segundo a mãe dele: "só sendo muito ninja pra bebê-lo". Pode ser também aquele cheio de cremes, licores e bolinhos de chuva. Ou aquele antes da aula de Espanhol... Poder ser o acompanhado de conhaque, que espanta qualquer tristeza.

E até esse, que esfriou.

This entry was posted in . Bookmark the permalink.

3 Responses to Preto duBom

  1. retrato says:

    esse...amei!

  2. Nathy. says:

    Nossas mini-férias diárias.
    Vai demorar um pouco pra termos de novo, mas você vai acrescentar mais um na sua listinha: os cafés pelo skype. :)


    <3

  3. Juliana says:

    café. tantos gostos diferentes de um unico pó :)